sábado, 19 de outubro de 2013

Pescaria em Bertioga a estréia da Fátima

Bertioga, 19 de outubro de 2013


E ai galera, faz um bom tempo que não posto relatos,  mas é que algumas mudanças na minha vida pessoal e profissional cobraram esta atitude, mas é com alegria que eu volto a pescar e a fazer os relatos, na verdade foi até acima das expectativas, pois consegui conciliar algo que mais gosto com quem eu mais gosto também

Sabadão com mar absurdamente calmo e com temperatura amena, não poderia ser melhor para o batismo da Fátima no mar.
Começamos com um aquecimento há uns dois minutos de motor para dentro do mar, só para sentir o estômago dela, mas era só cautela mesmo, ela é muito resistente e estava adorando o passeio sem se importar com as marolas.

Tentamos alguma coisa ali perto das treineiras na saída da barra, mas que nada, ninguém queria sardinha fresca e muito menos camarão morto!

Tocamos até a Ilha do Monte Pascoal, mas como estávamos sem bateria para ligar o sonar e o motor elétrico, acabei desistindo, uma por prudência e outra porque aquela água suja não estava inspirando uma pescaria de costão!

995501_537918252952607_1878575827_n.jpg


Então novamente ligamos o motor e fomos em direção a pontinho que conhecemos como cascalho das duas torres.
Com o tempo abrindo, resolvi parar no meio do caminho para corricar com uma Sumax Fusion Shad e não é que patroa se deu bem com uma linda Guaivira

1393554_537918342952598_1433091741_n.jpg


Tentei o corrico por mais alguns minutos e pararam as ações novamente.... então resolvemos mudar a técnica mais uma vez e parar com o corrico e voltar para a pesca de rodada com iscas mortas (sardinha e camarão).

Deu aquele tédio, nenhuma ação por muitos minutos...

Como reza a tradição, abrimos uma excelente cerveja (Eighty Six) para brindarmos e assim chamarmos os peixes

1391684_537918399619259_1748923804_n.jpg


e não é que o lendário brinde funcionou!!!!

1376504_537917586286007_1546070191_n.jpg


e pra nós dois!!!

1380739_537917846285981_626487940_n.jpg


mas durou pouco... e novamente ficamos sem ação, parecia que era o dia dos peixes!!!

voltamos a corricar até os 17 metros e olha só

uma linda bicuda na Rapala X Rap Magnum
1380841_537917792952653_454272168_n.jpg


e eu também consegui a minha no corrico

1378752_537917742952658_802259529_n.jpg


e tentando correr atrás do prejuízo do placar... mais uma espada também na Rapala XRAP Magnum


1377954_537918056285960_459273744_n.jpg

e até que o corrico estava ajudando com mais uma bicuda!!

1377268_537917669619332_1209559231_n.jpg



Assim finalizamos a nossa pescaria e ficamos passeando entre as praias do Indaiá, Ilha dos Guaras e canal de Bertioga...


Até que enquanto arrumava as tralhas a patroa ainda conseguiu um pequenino bagre cinza no camarão morto


991_537917469619352_1699470414_n.jpg



Mas o melhor mesmo foi ver o quanto ela curtiu o passeio e pescar comigo no mar abordo do "Todo Poderoso Amarelão Pleffer"




Abraços e até a próxima

terça-feira, 12 de março de 2013

E a vara bebeu muita água na queimadona

Itanhaém, 12 de março de 2013


Texto: Delgado
Fotos: Claudio



Olá amigos, tudo começou com um tópico sobre a minha pescaria de lambaris, o Claudio me ligou no domingo e na segunda feira fechamos uma pescaria avulsa para Queimadona com o barco Paparyko. Tudo na correria em cima da hora, mas foi fantastico!! Claudio é um parceirão!!!

Pra quem não me conhece...


Expandir esta imagem




Olha o Claudio ai:


Expandir esta imagem



Começamos curricando até a Ilha da Queimada Grande, mas não bateu nada, pelo contrário!!! (1) um "Zé" começou a curricar com um Jig head com grub, eu não vi ele fazendo essa merda, então quando percebemos já era tarde, as linhas estavam todas emboladas e passamos o resto da viagem cortando a linha dele para desembaraçar a nossa (a minha e do Claudio).


Chegamos num ponto da Ilha que era só pedra no fundo e em minutos já pegávamos as primeiras piranjicas e olho de cão, era o que tinha e fomos para pescar o que quer que chegasse perto do barco....kkkkk

Era diversão garantida, muitas piranjicas enormes, mas na certeza que quando anoitecesse poderiam entrar outros peixes mais nobres ali nas pedras, (2) mas os "Zés" que estavam no barco eram do contra, queriam só usar montagem com boia e passaram horas sem pegar nada, até que quando anoiteceu eles resolveram que queriam ir para o areião a uma boa distância da Ilha.

Chegando no areião não acertávamos mais nada, mas como ávidos pescadores mudamos as montagens e começamos a pegar Lulas e muitas dezenas de pescadas brancas, o Claudio só pegava só duplos.... estava fominha mesmo, tirando sarro de todos, na verdade ele estava arrebentando mesmo!!!

eu ainda alternava entre lulas e Pescadas, pois eu queria tentar coisa boa com lulas frescas no amanhecer a esta altura do campeonato entre os nossos pescados já davam mais que o dobro do pessoal do barco.

(3) Até que um "Zé" pegou uma belíssima raia, mas com equipamento ultra subdimensionado, deixou que ela em embolasse a linha de metade dos pescadores do barco em questão de segundos, antes mesmo que a galera pudesse recolher, mas quem não se prepara se estrumbica, e não sei se por sorte ou por azar, perderam o troféu do barco.

Quando estava para amanhecer o dia, o piloteiro nos aproximou da ilha novamente, eu aproveitei para curricar e ao se chegar perto da ponta sul, ele reduziu a velocidade próximo das pedras e foi a deixa para que eu gritasse "PEIXE, PEIXE, PEIXEEEEEEEEEE!!!!"



Expandir esta imagem



Tentamos mais algum tempo no parcel, mas só davam piranjicas mesmo, elas roubavam as iscas, quer fossem sardinhas ou lulas frescas...

O piloteiro voltou tocar o barco e agora já estavam todos com iscas na água, mas a velocidade era muito alta para iscas que não fossem especificas para currico, mas não para a Rapala Magnum X-RAP, então novamente engatei um maior ainda!!!


Vara Aluma 60 lbs - Linha Multifilamento Power Pro - Líder 60 lbs YGK Fluorcabono - Molinete Pen Fierce 7000 e ficou com sede


Expandir esta imagem



Ela queria mesmo beber água de qualquer jeito


Expandir esta imagem



Mas levei a sorte!!!




Assim terminamos a pescaria, o Claudio que sem dúvida nenhuma pegou mais peixe no barco e se mostrou um exímio pescador, eu que peguei mais lulas e o troféu do dia!!! Uma pescaria fantastica, que me deixou com um gostinho de quero mais...



abraços

domingo, 10 de março de 2013

Egretta thula (Garça Branca Pequena) pescando

Como não fui pescar, aproveitei para descansar e de última hora resolvi aproveitar o final da tarde para fotografar os amigos pescando.
Me senti um baita pé frio, pois o meu amigo não pegou nada....kkkkk será que sou é frio?? Sai pra lá que isso é coisa do Zé Henrique e o Pleffer!!!


Egretta thula - Garça Branca Pequena

Mede de 51 a 61 centímetros de comprimento e apresenta grandes feixe de plumas alongadas que enfeitam a cabeça de algumas garças na época de reprodução mais evidenciado nos machos. Totalmente branca. Bico e tarsos negros e pés amarelos.


queria tanto pescar com voce....kkkkk



Tempo de Exposição: 1/200 (0.005) segundos
Abertura F: 56/10 (5.6)
Distância Focal: 171 mm
Velocidade ISO: 800
Flash: Flash disparado, modo de flash obrigatório


Eu juro que avisei que água estava muito fria ali....





O que diferencia a Garça Branca Pequena da Grande, óbvio que além do tamanho, podemos ver que a base do bico e as patas são amarelas na Garça Pequena



Tempo de Exposição: 1/200 (0.005) segundos
Abertura F: 56/10 (5.6)
Distância Focal: 250 mm
Velocidade ISO: 400
Flash: Flash disparado, modo de flash obrigatório



Não é nem pela foto, que praticamente não da nem pra ver direito o que é, mas pelo registro ou evidencia que ainda há pica paus aqui próximo de casa.







Câmera: Canon EOS REBEL T3i
Lente: Canon EFS 55-250mm F/4 - 5.6 IS II

sábado, 9 de março de 2013

Fotos de um Brotogeris tirica (maritaca)

Estas Maritacas estão se alimentando na praça em frente a minha casa, fiz as fotos há alguns minutos.
Espero que apreciem as fotos.















Canon T3i
Lente Canon 55-250
ISO 200
F/7,1
1/250 s



Delgado

quinta-feira, 7 de março de 2013

Em busca da coxinha maldita, tombos, picaduras, buracos, piranhas e claro o Lambari

Hoje eu e o companheiro Leandro resolvemos ir em busca do lambari açú!!!

Nossa aventura teve inicio com um café da manhã na cidade de Itapecerica da Serra, com uma coxinha com a qualidade pra lá de duvidosa, mas pescador que é macho.... não sei o que pescador macho faz...kkkk Então resolvemos apostar na receita secreta da coxinha do buteco e rezar para encontrar o lambari ou banheiro, a ordem dos fatores não importava....

Enfim na cidade de Embú Guaçu, depois de percorrer uma meia hora de trilha na mata em busca de algum remanso, não encontramos nem um pontinho promissor, pois as chuvas tem sido muito intensas, o nível do rio subiu muito, água muito barrenta e com forte correnteza...




Resolvemos ir para a represa de Juquitiba, afim de conferir o nível da represa e claro pescar o Lambari Açu
A estrada está com bastante brita, isto impede que o carro atole, em contrapartida haviam muitos buracos e desnivelamento, isto acarretava um baixissima velocidade para um carro de passeio comum.



Escolhido o ponto que outrora obtive muito sucesso com os lambaris


Expandir esta imagem


No primeiro arremesso:




Depois de muitas dezenas de lambaris, resolvi bater um spinner e olha só a surpresa, uma baita de uma piranha!!!






E assim terminamos a pecaria ao meio dia !!! aquela pausa para o Almoço e o Leandrão mostra que não é fraco não e ataca um brontossauro a parmegiana


Expandir esta imagem



Assim foi o nosso primeiro dia de férias....

sábado, 2 de março de 2013

Caicada na Gurapiranga com direito a dança das libélulas

Guarapiranga, 02 de março de 2013


Já tinha um bom tempo que não remava, então preferi uma remada mais calma e menos puxada, então fui fazer o que para mim considero como uma expedição, pois ainda não conhecia um dos principais rios que formam a Guarapiranga.

Iniciei a remada as 7 horas da manhã, céu parcialmente nublado, sem ventos e com uma temperatura muito agradável, assim comecei este sábado as margens da Guarapiranga.



Expandir esta imagem



E assim iniciei a remada rumo ao desconhecido, com garças cruzando o céu sobre minha cabeça a todo instante


Expandir esta imagem



Até que cheguei num lugar e fiquei por vários minutos observando o vôo das libélulas, que pareciam dançar....


Expandir esta imagem







Mas não consegui subir o Rio, pois as macrofitas tomaram todo o espelho da água.



Expandir esta imagem



Mas isso não foi o suficiente para me desanimar, pelo contrário!!! após 13.3 km percorrida em 2:29h me dei por satisfeito, por uma natureza tão exuberante dentro de São Paulo.


Quem quiser fazer companhia na próxima aventura é só chamar +11 98025-5515


Abraços e até a próxima.


Delgado

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Long John CK500 da Tribord

Tudo bem que ainda não remei neste verão, mas isso é coisa de paulistano mesmo, que só vai pra praia quando chove e rema quando faz frio, ou seja, ainda não testei na água, mas me pareceu muito bacana ao ponto de compartilhar as primeiras impressões com os companheiros de forum.


1º) Isolamento térmico - Neoprene com espessura 2,5 mm.

Em breve eu testarei para ver se não vira um forno e é suficiente para aquecer da água mais fria...






2º) Liberdade de movimentos - Sem mangas para maior liberdade de movimentos durante a remada.

Usei um Short John (Modelo de bermuda e camiseta com mangas), mas senti uma certa força puxando os ombros para baixo, não sei não, mas acho que não daria certo remando por muitas horas assim, sem contar o risco de algo com tecido mais grosso roçando na axila.





3º) Resistência a abrasão - Reforços nos joelhos e nádegas. Neoprene jersey resistente

Há um tecido a mais costurado por cima do neoprene, reforçando nos joelhos e nádegas para evitar que abrasão desgaste o neoprene, achei isso bem legal também.





3º) Facilidade de utilização - Tem uma abertura para mijar






domingo, 4 de novembro de 2012

Pescaria de Caiaque no Perequê Guarujá


No meio das negociações para A PESCARIA, no feriado do dia 15 de novembro em Ubatuba com amigão Zé Henrique, não aguentamos a ansiedade e partimos com as patroas para o Guarujá, mesmo com a previsão de tempo instável e lestadas de mais de 15 nós, não nos deixamos nos abater pela previsão do tempo e fomos assim mesmo.

Mar muito pequeno, estimo no máximo 80-90 cm de ondas, mas muito mexido pela lestada que incomodou durante todo fds, entramos na água por volta das 16:30h da sexta.

Começamos pinchando pela costeira, até que consegui dois robalos, sendo um de medida (peva de uns 35-38cm), mas o outro era muito pequeno, ambos na yo zuri 3d minow branca, e como água estava muito limpa, dava para ver a tricaiada perseguindo a isca, e com certo apetite que daria para investir mais, mas eu queria tentar a sorte no jig e camarão morto para ver se conseguia uma bela corvina, mas só entravam micholas e uma ou outra cocoroca....

Como estava muito fraco na bahia, resolvi ir em direção ao parcel do pereque, mas ao me aproximar dava para ver água quebrando no parcel e as traineiras partindo do ponto, sinal que a pescaria estava fraca e o mar não queria contribuir com a permanecia dos pescadores por lá.

Neste momento pude observar uma cena que repetidas vezes e sem exceção me encanta todas as vezes, são as tempestades em alto mar, lá pela região da Ilha de Alcatrazes estava uma tormenta, mas ao sul da ilha aqueles lindos fachos de luz do sol, no meio deste transe o companheiro Zé Henrique chama no rádio para fugirmos da tormenta antes que ela nos alcançasse.

Na volta ainda peguei um grande, a varinha de 20lbs de carbono maçico até bebeu água, seria o troféu do dia, mas definitivamente o dia não era do pescador e o pescado levou a vantagem, se soltando sem ao menos dar a cara para nós... (Depois o Zé coloca a foto).


seguem alguns videos, sem nenhuma edição, mas da para a galera ver como o mar estava chato pra remar.
















No sábado ainda pescamos na praia da enseada, sem caiaques, mas foi muito bom e até certo ponto produtivo brincar com carapicus, carapaus e paratis com uma vara telescopica lisa e água até a barriga/peito a cada peixe fisgado as crianças gritavam como uma torcida organizada, para o peixe obviamente... mas era contagiante a alegria!!!


Enfim valeu o passeio!!

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Fotografia Lapa São Paulo

Lapa de Baixo é um bairro da região oeste de São Paulo. Pertece ao distrito da Lapa e é administrado pela Subprefeitura da Lapa.

No início século XX o centro da Lapa se torna industrial através da construção da Estrada de Ferro São Paulo Railway. Esta ferrovia corta a região longitudinalmente e a Lapa de Baixo situa-se ao norte da mesma. Devido à proximidade com a zona industrial o bairro foi o local escolhido para fixar residência pelos funcionários das fábricas lapeanas.[1][2]
A sede da TV Cultura encontra-se no bairro.

A partir dos anos 1950, com a construção da Marginal Tietê o bairro ganha características industriais, impulsionado pela logística local. Atualmente abriga diversos galpões, resquícios do período industrial, possui também a sede da TV Cultura e da Fundação Padre Anchieta, os Estúdios Mauricio de Sousa e a sede da Superintendência Regional da Polícia Federal em São Paulo.





Seguem algumas fotos que fiz no último sábado.... Comentem!!!!






Expandir esta imagem







Expandir esta imagem




Expandir esta imagem







Expandir esta imagem







Expandir esta imagem




Expandir esta imagem




Expandir esta imagem

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Super pescaria em Bertioga com muitas ações de cações!!!

Embarcamos na Marina do Sandro (Poço do Robalo) e começamos o dia com sol e sem ventos




Batemos uns pontos no Itapanhaú, mas a maré estava completamente morta e como não ventava, resolvemos ir até a barra para ver se a previsão iria acertar, digamos que errou só um pouquinho...
A previsão era de ventos de 25 a 30 nós, pela foto da para ver que nem brisa tinha:




Lá na Barra tentamos camarão no fundo, sardinha com chumbo, sardinha boiada, jig e 10 minutos de corrico, mas nada, não tivemos nenhuma nenhuma ação!!!

Fomos então para a Igrejinha tentar umas corvinas, e finalmente nosso amigo Raphadical tira o dedo com o primeiro Cacão Infladus Tigradus, uma especie muito perigosa para uso culinário..kkkk




continuamos a subir o canal em busca dos troféus, mas até as aves estavam implorando por peixes... o peninha pousou para foto e mereceu nosso maior camarão!!




Eu continuava a jigar em busca dos Robalos, mas o Raphadical só queria saber dos Cações Infladus Tigradus




Até que resolvi descer um camarãozinho morto e pegar o meu primeiro Cação Infladus Tigradus também, pra pelo pelos sair numa foto....




Pinchamos, jigamos e usamos camarão de isca, mas o dia estava difícil, até que saiu um pequeno exemplar de Cação Douradus Bigodudus




Ai fomos a farra, mais Cações Infladus Tigradus




Foram vários, sempre alternando entre Infladus Tigradus e Douradus Bigodudus



Mas o Raphadical se mostrou um pescador de primeira, realmente pegando o melhor do dia, um Belo Baiacu Arara.




Eu já estava começando apelar utilizando as técnicas obscuras do Pleffer, com vara de 6 lbs!!! Era total desespero, mas entrou até um primo da sardinha....





Raphadical era a alegria em pessoa pegando dubles, mas desta vez um Cação Cinzas Bigodudus, uma especie até que apreciada por alguns colegas...



Mas para onde iamos encontravamos os mesmos peixes





Até que o troféu do dia saiu, o maior Douradus Bigodudu, numa cabeça de sardinha, realmente só a carcaça da cabeça e ainda por cima boiada!!!




No mesmo instante o Raphadical pega o dele também




A esta altura do campeonato, já tinhamos súbido até a Boia Verde, paramos em todos os points já consagrados de pesca e nada dos robalos, a maré havia terminado o movimento da cheia as 13h, perdido e sem saber o que fazer, o Lanzara liga e fala para pinchar na galhada do Itapanhaú, pra quem já tinha navegado mais de 25 km, o jeito era tentar mais uma vez mesmo... e botamos o QUINZÃO A RONCAR!!!!

2 horas depois de RONCO DO QUINZÃO na orelha, chegamos no point e começamos o pincho, mas que nada, só dava Infladus Tigradus até na galhada e no PINCHO!!




Paramos em baixo da ponte para um cerveja para tirar a zica, mas acho que errei a receita neste dia!!! mas não deu nada lá na ponte...




Paramos num outro ponto do Itapanhaú, mas a maré parou de correr, os peixes pararam de comer, nós paramos de pescar, mas não parei de fazer foto e curtir o momento !!!





E assim fechamos o dia, o dia que eu mais peguei cação na minha vida, mas fiz um novo amigo e parceiro de pesca





Até a próxima